quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

A ESPIRITUALIDADE AGOSTINIANA NOS REMETE DA CIDADE DOS HOMENS À CIDADE DE DEUS.


Sem grandes pretensões de esgotar o assunto, mas, manifestando claramente o desejo de ajudar a despertar a nossa vida para o que como o próprio Agostinho falou sobre a busca pessoal de Deus, e que nos sintamos estimulados à, também nós, tentarmos nutrir uma verdadeira busca por Deus a exemplo deste homem que tanto nos ensina até os nossos dias e que deve inspirar o modo de vida de nossa comunidade.
Refletindo teremos como ponto de partida uma célebre frase encontrada no início das suas confissões:
Fizeste-nos para Ti Senhor, e inquieto está o nosso coração enquanto não repousa em Ti”(Confissões 1,1,1).
Esta afirmação é como que uma pilastra onde sustenta toda a espiritualidade Agostiniana. Ela revela-nos uma realidade profunda de toda humanidade: existe em nós uma inquietação básica pelo fato de ainda não termos alcançado o sentido último de nossa existência e se formos honestos – eu quero e devemos ser – nunca poderemos atingí-lo plenamente nessa vida. Somos peregrinos neste mundo, estamos na cidade dos homens, estrangeiros nesta terra e temos como “objeto” de nossos desejos alcançarmos à cidade de Deus, ou seja, o próprio Deus.
Essa sede de Deus é a força propulsora que impulsiona a vida para o encontro com Ele, que é, o ponto de repouso do coração que arde no desejo de ser feliz e de realização. Na tentativa de um modo Agostiniano de buscar Deus e de encontrá-Lo, devemos ter esse “espírito livre” para fazê-lo.
Não podemos jamais prescindir desse primeiro movimento: O Senhor nos atrai a si e essa atração corresponde profundamente a nossa sede de amor e de ser feliz. O coração humano vazio de sentido encontra em Deus o seu correspondente, o amante esperado, aquele que o realiza profundamente, que dá respostas às questões mais profundas do nosso ser.
Em palavras mais simples: Um jeito Agostiniano de comunidade começa, antes de tudo, com uma busca sincera por Deus, e isso inclui reconhecê-lo como único objeto de nossa busca. Quando buscamos a felicidade, a realização, quando buscamos ser amados, é o próprio Deus quem buscamos, muitas vezes até sem saber.

Por fim, fiquemos com as palavras do próprio Agostinho:

“Procurei algo para amar, pois estava apaixonado pelo amor [...] Intimamente sentia fome, por carência de um alimento interior, que nada mais é que tu meu Deus. Essa fome, contudo, não me tornava faminto. Não ansiava pelo alimento incorruptível, não por fartar-me dele, mas por que quanto mais ele me faltava, mas detestável me parecia (Confissões 3,1,1).”

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

VERDADEIRA AMIZADE!!!!!


AMIZADE (do latim amicus; amigo, que possivelmente se derivou de amore; amar, ainda que se diga também que a palavra provém do grego) é uma relação afetiva, a princípio sem características romântico-sexuais, entre duas pessoas. Em sentido amplo, é um relacionamento humano que envolve o conhecimento mútuo e a afeição, além de lealdade ao ponto de estar a disposição do outro.

"O AMIGO É O MEU OUTRO EU"

AMOR QUE PEDE RECIPROCIDADE, QUE SE OFERECE, QUE SE CONQUISTA, QUE POR TUDO SE ESFORÇA NA INTENÇÃO DE FUNDIR EM UMA SÓ ALMA E UM SÓ CORAÇÃO.

NA PROFISSÃO DE MEU PAI EXIGIA-SE UMA VIDA MEIO NÔMADE, DE TEMPO EM TEMPO MUDAVAMOS DE CIDADE E ME LEMBRO COMO SOFRIA POR TER QUE DEIXAR PARA TRAZ OS MEUS AMIGOS, DOIA NA ALMA MESMO, CHEGAVA EM OUTRA CIDADE E A IMPRESSÃO QUE TINHA ERA DE QUE NÃO ERA O MESMO MUNDO, TUDO FICAVA NUBLADO, PARECIA SEMPRE TEMPO DE CHUVA, MAS AOS POUCOS TUDO IA SE MODIFICANDO, O SOL REAPARECIA, OS AMIGOS DE OUTRORA PASSAVAM A SER AMIGOS DA LEMBRANÇA E NESSA SAUDADE DOS AUSENTES IA RECEBENDO COM ALEGRIA OS RECÉM-CHEGADOS, AMIGOS NOVOS IAM SURGINDO COM UMA MESMA INTENSIDADE, E MEU GRUPO DE AMIGOS SEMPRE AUMENTANDO.

HOJE TENHO AMIGOS COM QUEM CONVERSO, DOU BOAS RISADAS, PARTILHO MEUS PENSAMENTOS, PRESTO FAVORES POR AMOR, AQUELES QUE POSSO CHORAR NOS OMBROS, AQUELES QUE POSSO DISCORDAR SEM ÓDIO E DESSA DISCÓRDIA QUE É RARA,AFIRMAR A CONTÍNUA HARMONIA, ENSINANDO OU APRENDENDO UM DO OUTRO. TAMBÉM TENHO AMIGOS QUE SE TORNARAM ETERNOS E QUE ME ENSINARAM MUITO DO QUE EU SEI, MEU PAI FOI UM DESSES GRANDES AMIGOS QUE DEUS ME DEU E QUE QUANDO SE FOI EU ME SENTI COMO SE NÃO TIVESSE CHÃO, MAS NA CERTEZA DE QUE UM DIA NOS ENCONTRAREMOS NA ETERNIDADE ME CONSOLEI VIVENDO A ESPERANÇA NA PRESENÇA DE MEUS AMIGOS.

"Que consolo maior, entre as agitações e sofrimentos, que a confiança sincera e o mútuo amor de bons e autênticos amigos?"

(A cidade de Deus 14,8).

MINHA VIDA SE RESUME EM MEUS AMIGOS, E ATRAVÉS DE UM DESSES AMIGOS ME FOI APRESENTADO O MAIOR DELES : "JESUS".


"Feliz aquele que te ama, Senhor; e ama o amigo em Ti, e ao próprio inimigo por Ti" (confissões 2,9,14).


"Vede: como é bom, como é agradável habitar todos juntos, como irmãos"

(Sl 132,1)


FICA A PERGUNTA:

COMO É POSSÍVEL ALGUÉM VIVER SEM AMIGOS?


quinta-feira, 1 de maio de 2008

DESCENDÊNCIA!!!!

Confia no Senhor e faze o bem; reside na terra e age com fidelidade;

Deleita-te também no Senhor, e ele te concederá os pedidos do teu coração. (Salmos 37, 3-4) .

Persisti em pedir, e dar-se-vos-á; persisti em buscar, e achareis; persisti em bater e abrir-se-vos-á. Pois todo o que persistir em pedir, receberá, e todo o que persistir em buscar, achará, e a todo o que persistir em bater, abrir-se-vos-á. (Mateus 7,7-8) .


Eis que a minha descendência vai se perpetuando...


Obrigado Senhor! Pela graça alcançada que é a continuidade de minha família!





quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

ORAÇÃO!!!








EU TE BUSCO DE TODO O CORAÇÃO,


NÃO ME DEIXES AFASTAR DOS TEUS MANDAMENTOS.


CONSERVEI TUAS PROMESSAS NO MEU CORAÇÃO


PARA NÃO PECAR CONTRA TI.


BENDITO SEJAS, SENHOR, ENSINA-ME TEUS ESTATUTOS.


(Sl 119, 10-12)

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Amar, um aprendizado sobre Sentimento e Tempo!



O tempo não pára nem passa em vão pelos nossos sentimentos, mas atua sobre o nosso espírito de modo surpreendente.
Quantas coisas já aprendi diante do bem estar e do sofrimento, dos ganhos e das perdas, da harmonia e das brigas, do companheirismo e da solidão, do amor e do desamor, do falar e do silêncio, do saber e da ignorância, do lutar e do entregar-se, do sorrir e do chorar, do trabalhar e da ociosidade, do estar presente e do estar ausente, do vigiar e do descuidar, do revelar e do omitir, da paciência e da impaciência, do poder e da impotência, do ter e do faltar, e tantas outras coisas muito além do ensinar e do aprender.
Aprendi que enquanto nos revolvemos nas provações os dias se sucedem, e, com o passar do tempo novas esperanças se apresentam.
Aprendi que antes de definir o seu estado de vida, sua profissão, ou qualquer outro detalhe da sua existência, uma pessoa que quer se realizar deverá confrontar-se com Deus e com a Sua presença.
Aprendi que é loucura não aprender ou não saber amar os homens como eles são.
Sem este aprendizado, mesmo com o passar dos anos, permanecerá ainda criança ou adolescente.
E aqui através do sentimento e do tempo se Aprende o verdadeiro sentido da Vida, que é:
“Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento e Amarás o teu próximo como a ti mesmo”

(Mt 22, 37.39).